… nu, saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá ( Jó 1:20-21 ).

Agora, começo a me confundir,

Se, de fato, vivo o que sonho,

Se é vero o que imagino,

Temo já nem estar por aqui.

E se até bem pouco tudo era certo,

A vida, infinita; os anjos, por perto;

Eis-me, agora, feito pó, inseguro.

Ecce homo, em sua condição pura.


Luiz Martins da Silva

Luiz Martins escreve poesia desde os 17 anos; tem publicado livros e participado de antologias desde 1976. É jornalista profissional, com passagem por vários veículos de imprensa. É professor universitário e pesquisador há 20 anos, com numerosos trabalhos acadêmicos na área de Comunicação

Anúncios

2 Respostas

  1. LINDO! Vc tá bem? Certeza? Qq coisa grita! Beijo.

  2. – Andrea, querida, tá tudo bem! Estou bem, feliz e me virando. Mas sinto vontade de gritar todos os dias!!!!! Cadê nossas tequilas?? Morro de saudades de tudo, sabia?!! Falei com seu pai hoje, fiquei muito, muito feliz. beijão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: